Coesão Textual - Parte II

20.08.2019

 

Tipos de Coesão Referencial

 

 

Dando sequência ao Blog anterior , vamos falar da Coesão Referencial. Confira:

 

Possui algumas particularidades por se tratar de elementos que fazem referência a outros termos do texto, existem diferentes tipos também de coesão referencial.  

 

1 – Anáfora: Ocorre quando as referências textuais retomam elementos expressos anteriormente no texto Coesão Textual.

 

 

Exemplo: Pedro está viajando. Vi-o na semana passada.

 

- O pronome oblíquo (o) refere-se a Pedro, ou seja, a um termo que foi dito anteriormente.


- O substantivo Pedro foi substituído pelo pronome, para evitar a repetição desse substantivo e consequentemente deixar o texto mais limpo.

 

 

 

2 – Catáfora: Ocorre quando o referente aparece depois do item coesivo. Ou seja, o contrário da anáfora.

 

 

Exemplo: O irmão olhou-o e disse: Pedro, pareces doente.

Olhou quem? No decorrer do texto, aparece o termo referenciado: E disse: Pedro, pareces doente.

 

 

 

3 – Substituição: Ocorre quando há o uso de um termo com valor coesivo no lugar de outros elementos do texto, ou até mesmo de uma oração inteira.

 

 

Exemplo: Os alunos foram advertidos pelo mau comportamento.
Caso isso volte a acontecer, eles serão suspensos.

 

 

Para que não houvesse a repetição desses elementos, foram utilizados outros para substitui-los.

 

“Caso isso volte a acontecer” isso o quê? R: O mau comportamento
“Eles serão suspensos” Eles quem? R: Os alunos.

 

 

 

4 – Repetição ou reiteração: Ocorre quando há a repetição de algum termo para construir e manter o sistema de referências no interior do texto.

 

 

Exemplo: Michel Temer esteve na Alemanha esse mês. Temer espera que a relação entre os países melhore ainda mais.

 

 

- Quando repete o sobrenome do presidente, o autor está reiterando a presença do presidente na Alemanha e qual a importância disso.

 

 

 

5 – Contiguidade: Ocorre quando há o uso de termos que pertencem a um mesmo grupo semântico.

 

 

Exemplo: À medida que o rio se afunilava entre os paredões cada vez mais verticais, a correnteza vai ganhando velocidade e a companhia de uma espuma branca, originada pelo choque violento das águas contra as pedras. (...)
MEDAGLIA, Thiago. Terra. São Paulo, ano 14, n.177, jan.2007, p.82. (Fragmento).

 

 

“Correnteza” faz o mesmo sentido do “rio” e a “espuma branca” produzida pela correnteza, Fazem parte do mesmo grupo semântico. Das “águas” palavra que comporta todo o grupo semântico.



Nota-se o uso de palavras com o mesmo campo semântico para se construir a ideia, é um tipo de coesão referencial, chamada contiguidade.

 

 

 

Fonte: Brasil Escola/ Professora Mariana Rigonatto http://bit.ly/2Jo7CKL

 

 

 

Compartilhar
Please reload

Posts Em Destaque

Coesão Textual - Parte II

August 20, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

August 15, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags